História de
Sara Kali

Sara Kali é conhecida como a Padroeira do Povo Cigano e hoje vamos contar um pouco sobre sua história e o motivo dela ser uma figura tão importante para os ciganos.

Desde sua infância, Sara tinha muitas intuições e passava por situações nas quais utilizava sua sensibilidade. Ela conheceu as palavras do Cristo por meio das palestras de João e nunca parou de estudá-las, pois, acalentavam seu coração e ainda muito jovem tornou-se seguidora dele.

Sara tinha a pele mais escura do que as dos outros e acreditavam que ela fosse uma escrava. Kali significa negra, ou seja, Sara Kali significa “Sara, a Negra”.

Quando iniciou-se a perseguição aos cristãos, saiu para levar a mensagem do Cristo e ali, presas, acuadas foram colocadas em um barco. E os homens que assim o fizeram disseram que elas haviam fugido da região da Galileia; mas, na verdade elas foram açoitadas, aprisionadas, humilhadas, colocadas em um pequeno barco para desaparecer. Pois se eles as matassem encontrariam seus vestígios, encontrariam seus corpos.

Sara, junto com Maria Salomé, Maria Jacobina, Maria Madalena e outros seguidores do Cristo, foi jogada ao mar, para que morresse de sede e de fome. Como ela conhecia as palavras do Cristo e as seguia, começou, juntamente com as Marias a orar com muito fervor. Em meio aos louvores, Sara fez a promessa de usar um lenço em homenagem ao Cristo caso fossem salvos. 

E naquele momento colocou o lenço em sua cabeça, pois ela não esperou chegar ao porto seguro. Assim, Sara Kali, sem duvidar, colocou o manto e naquele momento os ventos começaram a soprar em águas mansas e esse barco foi levado suavemente, como se estivessem sobre as nuvens, sem tempestades, sem ondas violentas. A fé ia abrindo os caminhos e não havia trevas naquele mar.

E eles conseguiram desembarcar em uma terra chamada Petit Rhône, hoje conhecida como Saint Marie De La Mer, que significa “Santas Marias do Mar”, em homenagem a este acontecimento. Lá, cada um seguiu seu caminho, e Sara seguiu sua jornada. Primeiro em uma pequena gruta, onde acolhia viajantes e ciganos. Assim, identificou-se com a maneira livre e amorosa deste povo e viveu em função de ajudá-los e foi também acolhida por eles.   

Sua história, seus relatos nunca foram escritos, pois os ciganos não as escrevem, apenas passam-nas de pais para filhos, de geração para geração.  

Sara Kali nunca mais tirou seu véu. Uma vida de penitências, de fé e de exemplo. Ali começava a jornada de fé e de ensinar o que o Cristo havia lhes ensinado. Ali as Marias, cada uma buscando um caminho, porque Miguel Arcanjo havia dito individualmente à cada uma por onde deveriam seguir.

Todos os anos, o Templo Espiritual Maria Santíssima realiza uma homenagem a Santa Sara Kali. Um momento de agradecer as graças recebidas por ela e pelos Irmãos Ciganos Espirituais.  

Oração a Sara Kali

Protetora do povo cigano, guardiã dos espíritos, guardiã da paz dos ciganos, tu que andaste pelo mundo e não foste compreendida pelos homens, mas recebeste do Cristo a unção e a missão de estar à nossa frente, de estar à frente do nosso trabalho nesta vida e em todas que vivemos na Terra, consertando nossos destinos, consertando o coração daqueles que entendem a virtude de um povo que quer trazer à Terra toda a sua alegria, toda a paz, toda a fraternidade que existem nas famílias ciganas.

Desce Santa Sara Kali, atenda toda esta gente. Tuas bênçãos, teu afago, tua unção de espírito de luz que tu és, para que aqueles que recebem um espírito cigano recebam-no em seus corações.

Oração trazida pelo Cigano Espiritual Don Carlos Ramirez.